O nome é rebuscado, meio enrolado. Dobra na boca na hora de dizer, dá dúvida na hora de escrever, mas é certeza na vida de quem adora empurrar com a barriga aquela tarefa menos gostosa do cotidiano. Procrastinar, meus queridos, é deixar para amanhã aquilo que deveria ser feito hoje, mesmo que à ferro e fogo, no caso dos mais arredios ao cumprimento de tarefas chatas.

Procrastinar é uma das atribuições de nós humanos. E como é difícil admitir, não é mesmo. Quantas vezes nós deixamos para o dia seguinte, e o que segue, o próximo mês ou ano aquilo que é oneroso demais. A tarefa que é pesada – na força física ou intelectual -, que demanda tempo, quiçá dinheiro e muita energia para ser arrebatada.

Vamos acabar com o mal da procrastinação? Eu tenho uma receitinha. Com passos básicos a gente dribla este dragão que cospe fogo na cara da gente quando o encararmos.

Primeiro, fundamentalmente, saiba o que na realidade é necessário fazer. O pior que procrastinar alguma coisa é adiar uma tarefa que a gente nem sabe ao certo como se faz. Prepare-se para matar este dragão com uma espadada certeira. Saiba e planeje a melhor forma de executar este trabalho hercúleo. Na maioria das vezes, quando a gente sabe exatamente o que fazer, até Hércules ficaria com inveja de nossa tarefa nem tão pesada assim.

Se o trabalho lhe exigir estudo, concentração – estude e foque. Se for força, descanse e alimente-se bem. Se for os dois, prepare-se, óbvio. Nem tudo na vida da gente são flores. Quando somos crianças, precisamos bater um prato que nos parece sem fim, com feijão e arroz, para comer um potinho pequeno de gelatina como prêmio. A vida não é para amadores, crianças contemporâneas.

Por fim, faça como Hércules, que na mitologia, teve dividido em 12 os seus trabalhos, na busca pela absolvição. Repartir em partes, fazer o que é mais difícil primeiro, adiantar o que dá e programar a conclusão de uma tarefa longa, cansativa e chata são as melhores formas de concluí-la com sucesso.

Lembre-se que é no fim do arco-íris que dizem ficar o pote de ouro. É depois do prato de feijão com arroz que vem a sobremesa. E, pra não fugir do tema, é depois da atividade que vem a recompensa, sempre. Todos contra a procrastinação, de hoje em diante!

Por Marcos Aurélio Delavald
Especialista na comunicação mediada pela plataforma digital.
Imagem: Divulgação


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.