Você saberia medir quanto vale a felicidade do seu cliente? Quanto vale satisfazer o consumidor da sua marca, aquele que ajuda a pagar seus funcionários e a financiar seus sonhos, diariamente.

Poderemos pensa aqui: poxa vida, Marcos, eu não trabalho com realização de sonhos. Meus produtos e serviços não têm este apelo… Poderíamos dizer ainda que, sua organização não se envolve em questões emocionais, e que seu cliente é só mais um na fila do pão.

Nossa! Este é o ponto crucial desta discussão. Todos os clientes precisam ser encantados, precisam estar apaixonados e satisfeitos pelo seu trabalho, para dar asas aos seus sonhos e objetivos. A maioria esquece que quem contrata algum serviço, compra produto ou lhe contata para alguma tarefa, espera o cumprimento do pedido e espera ser surpreendido, encantado, ser feliz com o que você tem a oferecer.

Por mais que a humanidade terceirize o atendimento, automatize os serviços e se distancie de seus semelhantes, é a característica de ser humano que nos torna especiais, únicos e felizes. Ser humano é ser feliz, prestador de serviço que propaga a felicidade de seus clientes tem sucesso. É aquele capaz de entregar além de enxergar fora da caixa – tão moderno e tão clichê, mas necessário nos tempos que se seguem.

Na próxima vez que repensar método, que estiver estudando processos e formas de melhor atender seus clientes, lembre-se que você precisa encantá-los, satisfazê-los, e especialmente, fazê-los felizes, sempre.

Por Marcos Aurélio Delavald
Especialista na comunicação mediada pela plataforma digital.
Imagem: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.