Você já prestou atenção no lugar onde trabalha, ou onde seus comandados trabalham?

Lembre-se que todos começamos um dia, e geralmente na função de estagiário, trainee, ou algo parecido. Consegue lembrar-se desta época? Bem, eu consigo e lembro-me com clareza que o primeiro contato com o mundo dos negócios foi pelo ambiente de trabalho. É neste espaço que se iniciam as relações entre o colaborador e a empresa. A consequência são os resultados da equipe.

Na era do conhecimento, da informação e do ser – como já mencionamos em nossa coluna – o espaço no qual as pessoas convivem é muito importante. Cada vez mais se investe em criatividade, em horários mais flexíveis e na participação do colaborador nas decisões. Uma gestão autoritária, unilateral e vertical é ultrapassada.

Pensar o espaço onde se trabalha vai muito além da arquitetura, da decoração ou das acomodações. A redução da burocracia e a flexibilização de horários, são exemplos clássicos da gestão moderna que foca nos resultados e alcança metas.

Colaboradores motivados e comprometidos são sempre os que apresentam os melhores resultados. Eles tomam para si os desafios da empresa e fazem disso o trampolim para o sucesso pessoal, que neste caso sempre reflete no coletivo. É um efeito dominó positivo: um contagia o outro e todos “caem” na direção do sucesso.

Difícil implementar? Nem tanto… Vamos utilizar uma palavra muito comum no mundo corporativo, nosso glorioso benchmarking. Na essência, esta ferramenta consiste em avaliar o seu empreendimento a partir do mercado. O quê as marcas de sucesso, minhas concorrentes fazem, como elas organizam seus espaços, seu ambiente de trabalho e, sobretudo, o que fazem para valorizar seu time.

Aliás, falar em time é muito moderno. Uma equipe que funciona como um time, no qual todos têm certeza que são essenciais ao desempenho do grupo, funciona muito melhor do que distribuir perus em cestas de Natal – não que isto não seja bom, longe de mim querer acabar com o presente de fim de ano. A gente só precisa ter consciência de que só o peru não resolve.

São sonhos de todo empregador motivar pessoas, reter talentos e atingir as metas. Como se chega nisso? Bem, pensar no ambiente organizacional, e como vimos isto engloba toda a postura da empresa é o início de tudo.

Por Marcos Aurélio Delavald,
Especialista na comunicação mediada pela plataforma digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.