Vivemos em um tempo, e isso é verdade, que cada vez mais a especialização ganha destaque no mundo corporativo. Já falou-se até em “crise” da especialização, para qualificar o momento que posiciona o homem contemporâneo no tempo em que é necessário saber muito de determinado assunto, ou seja, ser especialista.


Porém esta característica começa a se alterar com o passar do tempo e as estreitezas provocadas pela escassez de emprego. Mesmo com saldo positivo na geração de vagas, pelo menos nos últimos dois meses, ainda há um hiato para mais de 13 milhões de trabalhadores desempregados Brasil a fora. 

Cada vez mais, por uma questão de economia, corporações têm optado pelo profissional multitarefa. Aquele que saber de tudo um pouco, o generalista, ou, especialista em generalidades. 

E isto tem ocorrido com frequência, pois parte de uma necessidade das empresas em formar seus quadros, com equipes cada vez mais reduzidas, dotadas de profissionais prontos para atacar em diferentes frentes ao mesmo tempo. Tipo aquele chuta, cabeceia e ainda defende no gol.

Por isso, um recado aos profissionais: aos poucos torne-se generalista. Aprenda novas tarefas, veja como outros profissionais formados em áreas diferentes da sua atuam. Aprenda, aprenda sempre. Chamar-se de eterno aprendiz não tem nada de poético, é necessidade de sobrevivência, creia! 
As empresas buscam por resolvedores de problemas, não causadores.

Quem não adere à onda do generalismo, por mais pacífico que seja no seu ambiente de trabalho, acaba virando problema. Leia, converse, observe e teste. Seja generalista.

até a próxima semana 

Por Marcos Aurélio Delavald,
Especialista na comunicação mediada pela plataforma digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.